Gols para quê?

O nome do jogo, Rogério Ceni, defende cobrança de falta (Crédito de Imagem: Marcos Ribolli)

O nome do jogo, Rogério Ceni, defende cobrança de falta (Crédito de Imagem: Marcos Ribolli)

Podia não ter acabado, mas acabou! Santos e São Paulo fizeram, sem a menor dúvida, o melhor jogo do ano no Brasil. E olha que faltaram os gols.

O San-São com certeza animou ambas as torcidas quanto ao futuro das equipes em todas as competições que irão disputar. É difícil até apontar algum jogador que tenha jogado mal.

É preciso dizer, também, que os dois times oscilaram bastante durante o jogo. Mas se tratando apenas da quarta partida oficial do ano, o nível de oscilação foi bem aceitável.

O Santos mostrou que a falta de grandes investimentos e a perda de jogadores titulares, pelo menos até agora, não influenciaram numa queda de produção em relação ao ano passado. Sim, Arouca faz muita falta no meio de campo, mas Aranha, Mena, Dracena e Damião tem substitutos à altura. Se mantiver o nível de ontem, o time alvinegro pode fazer um ano acima das expectativas.

Já o São Paulo não precisava mostrar tanto, mas sim preparar o time para a primeira rodada da Copa Libertadores, diante do rival Corinthians, na Arena. E o Tricolor passou no teste! Com um toque de bola irrepreensível no meio campo, o time controlou a maior parte do jogo mesmo jogando fora de casa. Não só isso: Rogério Ceni provou que realmente não deveria ter se aposentado em 2014. Fazia tempo que eu não o via pegar tanto!

Depois de um jogo desses, agora só nos resta aguardar o próximo meio de semana, que terá o tão aguardado clássico na Libertadores e diversos confrontos de animar qualquer um na volta da Champions League.

Certamente, comentaremos aqui…