Fruto de um mau planejamento

(Crédito de imagem: Daniel Augusto Júnior/Agência Corinthians)

Pois é, o Corinthians está fora do Campeonato Paulista.

Para tentar explicar o vexame do alvinegro, precisamos voltar no tempo: mais precisamente para o início da temporada 2013.

O clube, que vinha de uma de suas maiores glórias na história, quando venceu o Mundial de Clubes diante do inglês Chelsea, entrou no Paulista daquele ano como principal equipe do país e favoritíssimo ao título.

Mesmo apresentando um certo descaso com a competição, o time de Tite confirmou os prognósticos e sagrou-se campeão paulista diante do Santos de Neymar, em plena Vila Belmiro.

A conquista, no entanto, mascarou diversas deficiências daquele time que, mais tarde, ficaram evidentes no Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil.

Detentor de um precioso poder defensivo, o clube passou a cada vez menos ir às redes do adversário. A saída de Paulinho, diga-se, corroborou muito neste quesito.

A partir daí, a diretoria corintiana cometeu uma série de erros crassos na reformulação do elenco.

Ora, um time que em momento algum conseguiu ao menos brigar por uma vaga na Copa Libertadores, que protagonizou tantas partidas pífias em que não conseguia sequer ameaçar a meta adversária, começar a temporada 2014 com apenas Uendel e o fraco Cléber como reforços é um piada.

Lembre-se! Estamos falando do clube que melhor fatura no Brasil.

Ok, depois vieram Bruno Henrique, Jadson e Fagner.

Novamente, nenhum reforço de peso e já há quem fale em “Jadson-dependência”…

Mais do que isso: a diretoria voltou a apostar em Mano Menezes, mesmo o treinador vindo de trabalhos fraquíssimos na seleção brasileira e no Flamengo.

A temporada começou e a única evidente qualidade que o time possuía se esvaiu. Sim, aquela defesa que em muitas vezes garantia pelo menos alguns empates simplesmente desapareceu.

Em 14 jogos no Estadual, apenas seis vitórias.

Bem, se em 2013 o título paulista mascarou sérios problemas do plantel corintiano, talvez a eliminação precoce deste ano abra os olhos da diretoria e comissão técnica para a sequência da temporada.

Pelo menos tempo eles terão para isso.